Como eu sobrevivi a um tumor cerebral do tamanho de uma laranja

Desde criança, sempre sonhava em me tornar uma atleta olímpica. Então, quando fui diagnosticado com um tumor cerebral no início da adolescência, eu sabia que tinha que lutar não apenas para permanecer vivo, mas para manter meus sonhos vivos também.

Todos ficam assustados, deprimidos e com o coração partido quando enfrentam lutas tão enormes, mas um verdadeiro esportista sabe que nunca deve desistir. Lutei bem e muito e sobrevivi com algumas cicatrizes e muitas lições.

E agora que fui abençoado com uma segunda chance na vida, quero aproveitá-la ao máximo, me esforçando para atingir meus próprios objetivos e ajudar outras pessoas como eu.

Os sintomas iniciais

Meu tumor cerebral começou a apresentar sintomas no início de 1986, cerca de 2 anos e meio antes da minha cirurgia.

Comecei a ter dores de cabeça agudas e pulsantes no lado direito da área das têmporas; a frequência dos episódios foi uma ou duas vezes a cada 2 semanas.

O lado esquerdo do meu corpo também estava se tornando mais fraco e menos coordenado do que a metade direita. Eu deveria ter feito uma ressonância magnética quando comecei a sentir esses sintomas, mas fui repetidamente diagnosticado incorretamente devido a negligência médica.

No ano passado, eu acordava vomitando bile, o tempo todo com as mesmas dores de cabeça que agora se tornaram mais intensas e duradouras (de 1 a 2 horas).

O diagnóstico errado

Fiz exames anuais regulares com nosso médico de família em Lausanne, Suíça, e ele nunca fez um diagnóstico correto ou me deu uma ressonância magnética.

Consulte Mais informação  Os 10 melhores remédios caseiros para picadas de insetos que oferecem alívio

Havia muitos sinais e sintomas que o médico de família deveria ter detectado, mas o primeiro foram as dores de cabeça agudas e pulsantes.

Como tenho um alto limiar de dor e não reclamo muito, o médico envolvido apenas me deu remédios para dores de cabeça.

O Diagnóstico Correto

A primeira vez que uma pessoa soube que algo estava errado aconteceu quando minha família se mudou para o sul da França.

Em outubro de 1988, fui ver um oculista de óculos já que estava começando a enxergar o dobro. Ele pôde ver um grande sangramento atrás do meu olho e recomendou que meu pai me levasse ao pronto-socorro de um hospital em Paris ou na Suíça.

A causa suspeita

Os médicos do hospital disseram a meu pai que o crescimento do tumor pode ter sido causado por uma queda na minha cabeça e que pode ter crescido por anos. No entanto, eles não tinham certeza.

Minha reação

Eu não estava nem um pouco estressado no início e realmente entendi a gravidade da condição muito mais tarde. Com 13 anos e meio de idade, meus pais me mantiveram no escuro quanto à seriedade de minha cirurgia.

O oftalmologista conversou em particular com meu pai porque não queria me assustar. Os médicos do hospital foram instruídos a não falar abertamente sobre minha cirurgia.

Meu pai acabara de dizer que eu teria uma cicatriz na cabeça e que seria um sinal de dureza. Então, indo para a cirurgia, eu levantei meu ânimo sabendo que seria um cara durão. Só percebi como minha cirurgia era séria quando perdi todas as minhas habilidades motoras. (1)

O tratamento

Não me lembro exatamente de tudo que tomei no hospital, mas me lembro de tomar um coquetel de comprimidos por uma semana antes que minha cirurgia pudesse ser organizada.

Consulte Mais informação  10 melhores remédios caseiros para pressão arterial baixa (hipotensão)

Quando cheguei ao hospital em Lausanne, uma cadeira de rodas estava esperando por mim, pois eu estava começando a perder minha capacidade de andar.

Eu estava nos últimos estágios antes de morrer, então os médicos tiveram que tomar esse coquetel de pílulas. Eu me lembro que uma das pílulas era cortisona. (2)

Chance de sobrevivência

Meu astrocitoma do ventrículo IV era benigno e, portanto, me deu uma chance pequena de sobrevivência na cirurgia.

O tumor tinha crescido para ficar do tamanho de uma grande laranja esmagando meu cérebro, e eu seria uma “cobaia” em uma nova técnica de cirurgia que me deu 30% de chance de sobrevivência.

A parte mais difícil da recuperação

Durante minha estada de um mês no hospital, fui levado algumas vezes para fazer reeducação física e exercícios de equilíbrio.

Depois de voltar para casa, fui colocado em um centro de reeducação física por uma semana e depois continuei meu regime de exercícios em casa. (3)

Todos os exercícios foram exaustivos; Fiz exercícios para os olhos para reduzir minha visão dupla e exercícios de escrita para melhorar minha coordenação e velocidade.

Meu maior desafio, porém, era fazer 2 horas de reabilitação física por dia com um fisioterapeuta dedicado para melhorar meu equilíbrio.

Minha motivação

No início, fiquei chocado; Sofri silenciosamente de depressão . Em 1989, fui colocado em um centro de reabilitação física chamado Pomponiana Olbia (Hyeres, França).

Mesmo que fosse uma estadia curta para mim, vi crianças sofrendo de várias deficiências e nunca desistindo; inspirou-me tremendamente a tentar recuperar tudo o que pudesse.

Desde aquele dia, fiz tudo o que pude para fazer fisioterapia para recuperar o equilíbrio, exercícios para os olhos e exercícios de escrita.

Consulte Mais informação  Limpador vs. Lavador de rosto: diferenças, como usá-los e muito mais

Minha depressão voltou a se intensificar quando percebi que não recuperaria o que havia perdido. Tenho visão dupla, nistagmo, problemas de equilíbrio e coordenação que são permanentes.

No final das contas, minha esposa e meus filhos me ajudaram a superar minha depressão .

Minha mensagem para outros pacientes com tumor cerebral

Nunca perca a esperança. Olhe para outras pessoas que estão pior do que você. Nick Vujicic é meu exemplo, mas existem outros.

Continue trabalhando duro e não olhe para trás. A vida tem tantos desafios para você, mas você precisa continuar trabalhando duro para torná-la útil para você.

Aprendo com cada experiência e me concentro no que tenho, e não no que perdi, e essa é a única chave para seguir em frente na vida.

Meu apelo àqueles que tomam sua saúde como concedida

Quando você é jovem, pensa que é “invencível”, que as coisas ruins da vida não se aplicam a você. No entanto, eles fazem. Minha vida virou de cabeça para baixo; Eu queria ser um atleta como meu pai quando era jovem.

Seja flexível e pronto para mudar seus objetivos de vida sem se arrepender. Seja uma boa pessoa, trabalhe muito, mantenha a fé e nunca desista.

  • Leave Comments